Frutos de uma [BOA] aula.

No último semestre da UEFS além da correria, houve alguns momentos de profunda inspiração, como no dia que o professor e escritor Roberval Pereyr tentou (e conseguiu, eu acho) incitar seus alunos a uma atividade de produção literária. As instruções eram simples e um tanto assustadoras, dever-se-ia encarar uma folha de papel em branco e num surto repentino intencional de sentimentos transcrever TUDO, absolutamente TUDO, que viesse a mente. A principio o meu primeiro pensamento foi: "isso não vai dar nada que preste" mas ainda não "tava" valendo.
Bem... a pedidos, eis aí o que saiu da minha singela mente que me questionava constantemente o que é que eu estava fazendo ali...


-----------------------!@#$%¨&*--------------------


"Tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva, tô com raiva ........ mãos trêmulas que tentam escrever, estou com raiva. Processo de auto-motivação iniciado: ESTOU COM RAIVA! Neurônios defuntos que tentam entender as loucuras de Roberval. Dopamina; Maconha; Coca... filosofia e conhecimento em excesso: tudo que sobra é resto. Vômito, margenta, azul, amarelo, roxo, vermelho, verde, sangue, interrogações, reticências, calotas polares derretendo, trantorno bipolar, não quero mais escrever. Branco! E assim é: Uma grande cabeça no meu corpo fino. Vazio. Excasso de vocabulário. Quero ir pro infernato, a casa dos internos dessaborosos que O busca e nisso encontra alento. Preguiçoso que sou, motivação que acaba. Não estou mais com raiva.
Risos. Gargalhadas. Suspiro.
Ponto
Alexandre"


-----------------------!@#$%¨&*--------------------

... pois é....

oO

1 comentários - Comente tb... É SÓ CLICAR!:

Alê disse...

Pensei em colorir respectivamente as cores (parece redundância mais nõa é!). Mas como escrevi exatamente como estava no papel... assim fica.

=)